A Experiência de André Luiz no Umbral – Parte 2


Continuamos neste artigo a descrever a terrível experiência de André Luiz no Umbral. Na primeira parte do artigo, ele narra situações e comportamentos que o levaram, após o desencarne, aos horríveis sofrimentos no Umbral.

Na Parte 2, tratada aqui, ele não apenas entra em detalhes sobre seu sofrimento, mas também ficamos conhecendo como foi sua redenção. Como sabemos, tudo passa. Nenhum sofrimento é eterno.

A Experiência de André Luiz no Umbral – Seria André Luiz um Suicida?

Sobre seu sofrimento, um acontecimento contínuo que sempre o deixava desesperado era a acusação que sofria. Frequentemente ouvia gritos, por todos os lados, chamando-o de “suicida, criminoso e infeliz”.


André Luiz não entendia o motivo disso, e sentia-se muito perturbado, pois de maneira alguma se considerava um suicida. Relembrava que havia deixado o corpo físico a contragosto, em seu duelo com a morte, quando da operação dos intestinos.

E relembrava, principalmente, da última cena que guardara na memória, que antecedeu o “grande sono”: a imagem da esposa e dos três filhos contemplando-o, no terrível momento da separação.

Na sequência, o despertar, na paisagem escura e úmida… Ouvia os gritos proferidos pelos seres das trevas, mas não os encontrava. Algumas vezes, enxergava-os apenas de relance, na treva espessa.

Então, no auge do desespero e do medo, André Luiz tentava atacá-los, esmurrando o ar. Mas o esforço era sempre em vão. Conseguia como resultado disso apenas gargalhadas assustadoras e sarcásticas, enquanto os vultos se ocultavam nas sombras.

O Enorme Desânimo de André Luiz no Umbral

Sentia-se terrivelmente abandonado, porém, o maior sofrimento era o ataque incessante das forças das trevas que sempre o irritavam. Totalmente desnorteado, não tinha condições de analisar a situação vivida.

Começou então a desanimar e agora as lágrimas rolavam por seu rosto com uma maior frequência. André Luiz percebia que a grande cultura intelectual trazida do mundo, em nada lhe ajudava agora, nesse momento tão angustiante.

A tortura nunca cessava: sentia fome e sede o tempo todo. Algumas vezes, devorava algumas folhas desconhecidas que encontrava pelo ambiente hostil. Para tentar matar a sede, sugava a lama da estrada.

A barba crescia e a roupa começava a rasgar-se. Era necessário sempre ocultar-se da enorme quantidade de seres animalescos, que passavam em bando. Como podemos observar, o quadro era estarrecedor!

Cena do filme “Nosso Lar”: Personagem de André Luiz no UmbralCena do filme “Nosso Lar”: Personagem de André Luiz no Umbral

A Redenção – O Resgate de André Luiz

André Luiz que, no plano físico, detestava as religiões, começou a pensar agora que deveria existir um “Autor da Vida“, e sentiu-se confortado.

A partir desse momento, quando não tinha mais energias e forças, à maneira de uma criança aflita, rogou piedade a Deus.
Não sabe quanto tempo durou essa súplica. Uma chuva de lágrimas lavou seu rosto.

Então, a intercessão acontece. Não apenas pela mudança de comportamento de André Luiz, mas também porque havia um anjo que velava por ele: sua mãe.

No Capítulo 7 de “Nosso Lar”, somos informados da intercessão de sua mãe por ele, desde quando André Luiz adoecera e, principalmente, durante sua permanência no Umbral.

Cena do filme “Nosso Lar”: Personagem de André Luiz sendo resgatado
Cena do filme “Nosso Lar”: Personagem de André Luiz sendo resgatado

Clarêncio, o Velhinho que Retirou André Luiz do Umbral

Nesse momento, a paisagem até então sempre escura, deu lugar à uma claridade, de onde surgiu um velhinho simpático, enviado dos Céus.

Sorrindo paternalmente, pediu para que André Luiz tivesse coragem, pois o Senhor não nos desampara nunca. Muito emocionado, sem conseguir segurar o choro, André Luiz perguntou quem era aquele senhor, e obteve a resposta: se chamava Clarêncio.

Não podia imagina que seu sofrimento, que parecia eterno, estivesse chegando ao fim.

Clarêncio orientou-o de forma a permanecer calmo e em silêncio, pois era necessário que descansasse.
Outros dois companheiros estenderam um tipo de maca improvisada, onde colocaram André Luiz.

Esses foram seus últimos momentos no Umbral.
Partiram então para “Nosso Lar“.

E a jornada de evolução espiritual e moral de André Luiz se iniciaria.

Se você não leu a Parte 1, clique aqui!

One thought on “A Experiência de André Luiz no Umbral – Parte 2

  • 11 de abril de 2021 em 18:26
    Permalink

    Relato esclarecedor, assustador e comovente, ao mesmo tempo. Muito obrigada!

Fechado para comentários.