Biografia de Bezerra de Menezes


Todo aquele que se interessa pelo Espiritismo deveria conhecer a biografia de Bezerra de Menezes, também chamado de “o Médico dos Pobres”.

Sem dúvidas, é uma notável figura da história do espiritismo brasileiro, e além disso, é também reconhecido nas áreas da medicina e da política.

Nasceu em 29 de agosto de 1831, em Freguesia de Riacho do Sangue (atual município de Jaguaretama), uma pequena cidade do Ceará.


Seu pai, Antônio Bezerra Cavalcanti, foi um tenente-coronel da Guarda Nacional, e sua mãe, Fabiana de Jesus Maria Bezerra, era descendente de uma antiga família de ciganos na então Província do Ceará. O posicionamento político de seu pai fez com que a família sofresse perseguições e dificuldades financeiras.

 

1851: Mudança para o Rio de Janeiro e o sonho de ser médico

Bezerra de Menezes passou a sua infância e adolescência entre o Ceará e o Rio Grande do Norte. Com a morte do seu pai, em 1851 ele mudou-se para o Rio de Janeiro, com poucos recursos financeiros, mas levando consigo o sonho de tornar-se médico.

Então, doutorou-se em Medicina aos 25 anos de idade, pela Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro. Foi eleito membro da Academia Imperial de Medicina e em 1858 foi nomeado cirurgião-tenente do Corpo de Saúde do Exército.

Casou-se com Maria Cândida de Lacerda, com quem teve um casal de filhos. Após cinco anos de seu casamento, a esposa veio a desencarnar. Passados dois anos do desencarne de Maria Cândida de Lacerda, Bezerra de Menezes casa-se com Cândida Augusta de Lacerda, irmã materna de sua primeira mulher. Tiveram cinco filhos.

Bezerra de Menezes e a Mulher Cândida Augusta - Provavelmente em 1865
Bezerra de Menezes e a Mulher Cândida Augusta – Provavelmente em 1865

O Médico dos Pobres

Não recebeu o carinhoso apelido de “O Médico dos Pobres” por acaso. Bezerra de Menezes foi um médico extremamente caridoso. Desde o início de sua vida profissional, cobrava apenas de quem podia pagar e a maioria de seus pacientes era de pessoas necessitadas.

Ele de fato dedicou a sua carreira a cuidar dos pobres. É famoso o episódio em que, vendo uma mãe em agonia por não ter o dinheiro para comprar remédios para seus filhos, o Dr. Bezerra de Menezes retirou seu anel de grau da medicina do dedo e deu a ela para que pudesse pagar o tratamento do filho.

Se, por um lado, das pessoas pobres ele não recebia nenhum tipo de contribuição financeira, por outro lado recebia algo infinitamente mais valioso: a gratidão, amor e orações dessas pessoas.

Definia o médico da seguinte forma:

“O médico verdadeiro é isto: não tem direito de acabar uma refeição, nem de escolher a hora, nem de perguntar se é longe ou perto, quando um aflito lhe bate à porta.

O que não acode por estar com visitas, por ter trabalhado muito e achar-se fatigado, ou por ser alta noite, mau o caminho ou o tempo, ficar longe, ou no morro; o que, sobretudo, pede um carro a quem não tem com que pagar a receita, ou diz a quem lhe chora à porta que procure outro; esse não é médico, é negociante de medicina, que trabalha para recolher capital e juros dos gastos da formatura.

Esse é um desgraçado, que manda para outro o Anjo da Caridade, que lhe veio fazer uma visita e lhe trazia a única espórtula que podia saciar a sede de riqueza do seu Espírito, a única que jamais se perderá nos vais e vens da vida.”

1861: Início da Trajetória Política

Foi um homem de diversos cargos políticos:

1861 e 1864: Foi eleito vereador no Rio de Janeiro.

1866: Foi eleito deputado Provincial pelo Rio de Janeiro.

1873 a 1885: Retornou à política como vereador, ocupando várias vezes as funções de presidente interino da Câmara Municipal.

1877 a 1885: Foi eleito deputado geral pela Província do Rio de Janeiro, ano em que encerrou a sua carreira política.

Homem exemplar que era, tinha sempre como objetivo fazer o bem independentemente da posição que ocupava: seja como médico, seja como político. E, como político, sempre foi defensor da liberdade, um abolicionista.

Ele lutou pela regulamentação do trabalho doméstico visando conceder a essa categoria, inclusive, o aviso prévio de 30 dias. E já naquela época, alertava sobre os perigos da poluição no Rio de Janeiro, sendo considerado um visionário.

Começa a sofrer muitas calúnias e perseguições e acaba então abandonando a política.

Obras Publicadas de Bezerra de Menezes

Ao conhecer a biografia de Bezerra de Menezes, percebemos que ele era um homem muito versátil. Além de tudo, ele foi autor de várias obras, entre elas:

“A Escravidão no Brasil, e medidas que convém tomar para extingui-la sem dano para a Nação.”, de 1869.

No campo espírita ele publica:

  • 1892: sua tradução de “Obras Póstumas”, de Allan Kardec.
  • 1902: “A Casa Assombrada”.
  • 1907: “Espiritismo – Estudos Filosóficos”, uma coletânea dos artigos publicados em “O Paiz”.
  • 1983: “Os Carneiros de Panúrgio”.

Doutrina Espírita

O Dr. Joaquim Carlos Travassos teve uma importância fundamental para a biografia de Bezerra de Menezes. Ele havia realizado a tradução do “Livro dos Espíritos” para o português e presenteou o amigo com um exemplar com uma dedicatória.

Foi dessa forma que Bezerra de Menezes entrou em contato com o Espiritismo. Sobre o “Livro dos Espíritos”, disse mais tarde que ao iniciar a leitura, prendeu-se a ele como acontecera com a Bíblia. E ao avançar na leitura, sentia como se já tivesse lido ou ouvido tudo o que se achava na obra.

Como resultado dessa experiência com o “Livro dos Espíritos”, em 1883 começou a publicar artigos no jornal “Reformador”. Estudou e traduziu obras de Allan Kardec e em 1894 passou a contribuir também com o periódico “O Paiz”.

Foi presidente da Federação Espírita Brasileira durante o ano de 1889, e depois, preside mais uma vez, de 1895 até o seu desencarne, em 1900.

O Desencarne de Bezerra de Menezes

Imobilizado na cama, em virtude de uma congestão cerebral, Bezerra de Menezes desencarna em 11 de abril de 1900, às 11 horas e 30 minutos.

Sua vida e obra, merecidamente, foi retratada em filme, em 2008: “Bezerra de Menezes – O Diário de um Espírito”. Foi interpretado pelo grande ator Carlos Vereza e foi um sucesso de bilheteria.

Compartilhe a biografia de Bezerra de Menezes para que outras pessoas que ainda não o conheçam, possam ter a oportunidade de saber quem foi essa maravilhosa pessoa.

Bezerra de Menezes foi, em essência, um verdadeiro Cristão. Que possamos sempre seguir seu exemplo e que seu nome seja sempre lembrado como aquele que seguiu exemplarmente o ensinamento de Cristo:

“Faça aos outros o que gostaria que fizessem a você.”

Leia também: