Quem Foi Allan Kardec – O Codificador do Espiritismo


Impossível adentrar e conhecer o mundo do Espiritismo sem antes saber a história daquele que é o principal nome desta doutrina que difunde Espiritualidade, amor e caridade. Por isso, neste artigo conheceremos quem foi Allan Kardec – o Codificador do Espiritismo.

Quem Foi Allan Kardec – O Codificador do Espiritismo

Seu nome na verdade é Hippolyte Léon Denizard Rivail, nascido em 3 de outubro de 1804, em Lyon, na França. Era de uma família renomada na magistratura e possuía dois irmãos mais velhos e uma irmã mais nova que ele.

Allan Kardec tinha um interesse enorme pelas ciências sociais e filosofia, declinando então de seguir o caminho de seus pais. Aos 10 anos de idade foi enviado para a Suíça e tornou-se discípulo do pedagogo Pestalozzi.


Junto de outros jovens burgueses da Europa, aprendeu e dominou três línguas: inglês, alemão e holandês. O método de ensino e as ideias de Pestalozzi tiverem um grande impacto em Allan Kardec, principalmente no que diz respeito à fraternidade.

Quem Foi Allan Kardec - O Codificador do Espiritismo
Quem Foi Allan Kardec – O Codificador do Espiritismo

Allan Kardec – O Pedagogo

Em 1820 o jovem Allan Kardec finalizou os estudos e decidiu então mudar-se para Paris. Sua casa era a de número 35 na Rue de Sèvres. Fundou um curso sobre os métodos e pensamentos de seu mestre Pestalozzi, iniciando então seus primeiros passos como professor.

Além disso, deu aulas de física, química, astronomia e anatomia, tendo a preocupação de tornar seus conteúdos interessantes e didáticos para os alunos.

O jovem professor também desenvolveu um novo método para aprender a contar e um dispositivo mnemônico que tinha o objetivo de melhorar a aprendizagem da história francesa.

Publicou várias obras no campo da educação e em 1928 criou uma proposta de Plano de melhoria da educação pública, que foi premiada pela Royal Academy of Arras. Dessa forma, Kardec passou a se tornar conhecido pela sociedade educativa da época.

Allan Kardec e Amélie Boudet

Amélie Boudet era uma professora que trabalhou com Allan Kardec em sua escola. Era nove anos mais velha que ele. Em 1832, eles se casaram e nunca tiveram filhos.

Mesmo com o grande apoio que Amélie Boudet dava a seu marido em seu trabalho educacional, na década de 1850 enfrentaram diversas dificuldades financeiras e Allan Kardec precisou fechar sua escola.

Como dominava muito bem a língua alemã, mudou-se para a Alemanha para trabalhar traduzindo livros educativos. E mesmo com as dificuldades, fazia aquilo que era a sua vocação, dava cursos gratuitos de astronomia e química.

Allan Kardec e o Espiritismo – 1855

Podemos dizer que o movimento em torno do Espiritualismo começou nos Estados Unidos, em 1848, com as irmãs Fox. Elas começaram a ouvir batidas em sua casa, que foram atribuídas ao Espírito de um homem.

Estabeleceram então uma comunicação com esse Espírito na presença de testemunhas. A história sobre o ocorrido foi crescendo e se espalhou, primeiro nos Estados Unidos e a partir de 1853 na Europa.

Leia também:
Biografia das Irmãs Fox

Em 1855, por conta de suas imensas qualidades como educador e observador estudioso, foi convidado a participar de uma sessão de mesas giratórias e comunicações com os Espíritos. Tinha então 51 anos de idade.

A partir disso, sua vida mudou completamente. Allan Kardec começou a se interessar então por esses fenômenos e também pelo magnetismo e hipnose.

Para diferenciar seu trabalho como educador de seus estudos dos fenômenos do Espiritualismo, resolve adotar o pseudônimo de Allan Kardec, nome de um druida celta e identidade que ele próprio teria sido em uma vida anterior.

Com suas qualidades de observação e rigor científico, Allan Kardec estuda profundamente os fenômenos das manifestações e comunicações dos Espíritos lançando em 1857 “O Livro dos Espíritos”.

Allan Kardec – O Codificador do Espiritismo

É chamado de “Codificador do Espiritismo” porque “O Livro dos Espíritos” é um livro de perguntas e respostas onde Allan Kardec e sua equipe elaboram questões sobre os mais variados assuntos que são respondidas por Espíritos altamente evoluídos.

Com este livro a nova doutrina ganha corpo e passa a ser chamada de “Espiritismo”, que é acompanhada também por um importante componente filantrópico.

Em 1858, Allan Kardec fundou a Revista Espírita (Revue Spirite) dedicada a estudos psicológicos, e fundou também a Sociedade Parisiense de Estudos Espirituais.

Nesta época o Espiritismo começou a ganhar muitos adeptos, dentre eles, grandes escritores como Victor Hugo e Arthur Conan Doyle. Começou então a difundir-se rapidamente.

Leia também:
Biografia de Arthur Conan Doyle

Livros de Allan Kardec – O Pentateuco Espírita

O Pentateuco Espírita são os cinco principais livros da Doutrina Espírita, onde Allan Kardec analisou, codificou e reuniu os ensinamentos da Espiritualidade Superior. São eles:

Livro dos Espíritos

Publicado em 18 de abril de 1857. Reúne os mais variados assuntos que interessam a humanidade em 1019 perguntas.

Leia também:
O Livro dos Espíritos

Livro dos Médiuns

Publicado em Janeiro de 1861. Visa esclarecer os médiuns e os iniciantes na mediunidade oferecendo metodologias e práticas para os trabalhos mediúnicos.

Evangelho Segundo o Espiritismo

Publicado em 15 de abril de 1864. Dá um enfoque maior às questões religiosas e éticas do ser humano, abordando e interpretando os Evangelhos pela óptica da Doutrina Espírita.

O Céu e o Inferno: publicado em 1 de agosto de 1865

A primeira parte do livro trata de apontar algumas contradições filosóficas do conhecimento científico e a segunda parte traz diálogos estabelecidos entre Kardec e diversos Espíritos sobre o além-túmulo.

A Gênese

Publicado em 1 de agosto de 1865. Trata basicamente de três assuntos principais: a criação da humanidade (corpórea e espiritual), os milagres e as profecias.

Filme Sobre Allan Kardec

Em 2019 foi lançado o filme “Kardec, A História por Trás do Nome”. Foi gravado em Paris e ambientado para o século XIX.

O filme conta a história do educador Hippolyte Léon Denizard Rivail, conhecido como Allan Kardec e responsável pela criação da doutrina Espírita.

Os atores Leonardo Medeiros e Sandra Corveloni em cena do filme "Kardec, A História por Trás do Nome". Foto: Divulgação / Divulgação.
Os atores Leonardo Medeiros e Sandra Corveloni em cena do filme “Kardec, A História por Trás do Nome”. Foto: Divulgação / Divulgação.

É um filme brasileiro do gênero drama biográfico e conta com a direção de Wagner de Assis, que também dirigiu “Nosso Lar”, em 2010. O filme é baseado na biografia de Allan Kardec, escrita por Marcel Souto Maior.

Leia também:
Onde Assistir o Filme Nosso Lar

Frases de Allan Kardec

A nossa felicidade será naturalmente proporcional em relação à felicidade que fizermos para os outros.

Nascer, morrer, renascer e progredir sem cessar, tal é a lei.
Esta frase está gravada na sepultura Kardec.

O homem não é apenas feito de matéria, há nele um princípio pensante vinculado ao corpo físico que ele deixa, como se deixa uma vestimenta usada, quando se completa sua presente encarnação. Uma vez desencarnados, os mortos podem se comunicar com os vivos, seja diretamente ou por meio de médiuns, de forma visível ou invisível.

A Morte de Allan Kardec

A morte de Allan Kardec foi ocasionada pela ruptura de um aneurisma, em 31 de março de 1869, em Paris. Ele tinha então 64 anos.

Deixou muitos livros e textos incompletos, que anos após sua morte foram publicados, como por exemplo “As Obras Póstumas de Allan Kardec”.

O túmulo de Allan Kardec no cemitério Père-Lachaiseé, em Paris, é um dos mais floridos e populares. Recebe a visita de muitas pessoas, principalmente brasileiros.

Recebe também visitas de muitos educadores, filósofos e médiuns buscando inspiração para seus projetos. Há no local uma obra de Paul-Gabriel Capellaro: um busto de bronze do próprio Allan Kardec.

Foto do túmulo de Allan Kardec no cemitério Père-Lachaiseé em Paris.
Foto do túmulo de Allan Kardec no cemitério Père-Lachaiseé em Paris.

Allan Kardec e o Início do Espiritismo no Brasil

Não demorou muito para o Espiritismo chegar no Brasil e conquistar muitos adeptos. A comunidade intelectual da época acolheu com interesse as obras e as teses criadas por Allan Kardec.

Em 1860, 3 anos após o lançado do “Livro dos Espíritos”, o educador francês Casimir Lieutaud traduziu para o português o livro “Os Tempos São Chegados”, a primeira obra Espírita impressa em nosso país.

E em 17 de setembro de 1865, o jornalista brasileiro Teles de Menezes, fundou o primeiro centro Espírita do Brasil, em Salvador, chamado “Grupo Familiar do Espiritismo”.

Em 8 de março de 1869, Teles de Menezes também criou o primeiro periódico Espírita do país, chamado “Eco do Além Túmulo”.

Atualmente, mais de 4 milhões de brasileiros se declaram Espíritas. Há milhares de centros Espíritas espalhados pelo Brasil, divulgando as obras de Kardec e praticando a caridade, como nos ensinou nosso mestre Jesus.

Mais de um século e meio após a morte de Kardec, ele ainda continua a reunir multidões e suas obras são cada vez mais vendidas. Até mesmo seu túmulo recebe diariamente a visita de muitas pessoas.

Que o seu trabalho, pensamento e obras possam ser cada vez mais difundidos e compartilhados para que mais pessoas conheçam essa doutrina que tanto ajuda e ampara.

Leia também:
Biografia de Bezerra de Menezes