A Origem da Colônia Espiritual Nosso Lar


Após algumas semanas de tratamento, André Luiz teve a permissão de sair do Hospital para passear, e dessa forma tomou conhecimento sobre a origem da Colônia Espiritual “Nosso Lar”.

Acompanhado de Lísias, ficou impressionado com o espetáculo das ruas: grandes avenidas, todas enfeitadas de árvores.

O ar era puro e havia uma profunda tranquilidade espiritual na atmosfera.
As vias públicas estavam repletas de entidades numerosas, não demonstrando qualquer sinal de ociosidade.


Alguns desses Espíritos pareciam distantes, mas outros dirigiam olhares acolhedores a André Luiz.

Percebendo a surpresa e dúvidas do amigo, Lísias começou a explicar alguns pontos da Colônia Espiritual.

Ministérios em “Nosso Lar”

Há em “Nosso Lar” um Governador Espiritual, que recebe o auxílio de setenta e dois colaboradores: são os Ministros de “Nosso Lar”.
Há seis Ministérios, orientados, cada qual, por doze Ministros.

Os Ministérios são:

1. Regeneração
2. Auxílio
3. Comunicação
4. Esclarecimento
5. Elevação
6. União Divina

Os quatro primeiros aproximam “Nosso Lar” das esferas terrestres e os dois últimos, ao plano superior, uma vez que a Colônia Espiritual é uma zona de transição.

Ministério do Auxílio

Aquele local em que estavam se chamava Ministério do Auxílio. Tudo que André Luiz via naquele momento: edifícios e casas residenciais, representavam instituições e abrigos pertencentes aquele Ministério.

Orientadores, operários e outros auxiliares da missão, moravam ali.

Muitas atividades importantes acontecem neste Ministério, como por exemplo:

  • Atendimento à rogativas e doentes;
  • Seleção de preces;
  • Organização de turmas de socorro, tanto aos habitantes do Umbral quanto aos que choram na Terra;
  • Preparação de reencarnações terrenas;
  • Estudos de soluções para todos que se prendem ao sofrimento.

Clarêncio, o chefe amigo de Lísias, e o responsável pelo resgate de André Luiz no Umbral, é um dos Ministros do Auxílio.

No Ministério da Regeneração são realizados os serviços mais grosseiros, e no Ministério da União Divina, os mais sublimes.

André Luiz sentia-se surpreso ante a possibilidade de organizações tão completas, após a morte do corpo físico.

E Lísias ensina que, infelizmente, o véu da ilusão é muito denso no plano físico. O homem vulgar, na Terra, ignora que toda manifestação de ordem, no mundo, tem origem no plano superior.

Colônia Espiritual "Nosso Lar"
Colônia Espiritual “Nosso Lar”
A História de “Nosso Lar”

“Nosso Lar” é uma antiga fundação de portugueses que desencarnaram no Brasil, no século XVI.

Segundo consta nos arquivos no Ministério do Esclarecimento, no início foi uma enorme luta.
Há também em “Nosso Lar”, enormes extensões de potencial inferior, assim como na Terra.

Até mesmo para os Espíritos mais firmes, os trabalhos primordiais foram desanimadores.

Mas, prosseguiram em seu projeto, copiando o esforço dos europeus que chegavam ao plano físico, com a diferença de que, por lá, se utilizava a guerra e a escravidão, e, em “Nosso Lar”, o serviço perseverante e o amor espiritual.

A Governadoria

Os esforços dos fundadores da Colônia Espiritual começaram, partindo de um lugar onde mais tarde seria a Governadoria.

O belo palácio da Governadoria, com torres soberanas que se perdiam no céu, se localizava no centro de uma maravilhosa praça, com extensos jardins.

Esse era exatamente o ponto de convergência dos seis ministérios. Todos eles começam da Governadoria, estendendo-se em forma triangular.

O Governador

E ali, no palácio da Governadoria, vivia o orientador (Governador) de “Nosso Lar”. Para os trabalhos administrativos, recebia a colaboração de três mil funcionários.

No entanto, ele dava o exemplo: o Governador era o trabalhador mais incansável e mais fiel que todos reunidos.

Por exemplo: os Ministros, para renovarem as energias e aumentarem os conhecimentos, costumavam excursionar em outras esferas.

Para os outros colaboradores, como por exemplo Lísias, havia entretenimentos habituais, mas o Governador nunca dispunha de tempo para isso.

O Governador de “Nosso Lar” fazia questão de que todos descansassem e até mesmo obrigava os colaboradores a tirarem férias periódicas.
Mas, ele mesmo, quase nunca repousava, mesmo no que se referia às horas de sono.

Lísias informou a André Luiz que a alegria do Governador era o serviço constante.

Disse também que, desde que estava em “Nosso Lar”, há quarenta anos, com exceção das assembléias referentes às orações coletivas, raramente tinha visto o Governador em festividades públicas.

Lísias finalizou o importantíssimo esclarecimento informando que não fazia muito, comemorou-se o 114º aniversário da magnânima direção do dedicado Governador.